Quem foi Júlio Verne? – Volta ao mundo em 12 livros

Quem foi Júlio Verne? – Volta ao mundo em 12 livros

Júlio Verne é o autor que abriu o projeto Volta ao Mundo em 12 Livros do Outro Por-fora. É claro que seria ele: meu primeiro autor favorito e a inspiração para o nome do projeto. Lemos seu livro Volta ao Mundo em 80 Dias, um eterno clássico. Então em homenagem ao gênio visionário que Verne foi, que tal conhecer um pouco de sua vida e obras?

A vida de Júlio Verne

Jules Verne (1828-1905) foi um escritor que encantou as pessoas da época com suas Viagens Extraordinárias. Desde menino Verne foi apaixonado pelo mar e por geografia, pelas máquinas a vapor e outras invenções, então queria contar histórias onde pudesse explorar todos estes conhecimentos que ele tinha e adorava.

Nascido em Nantes, estudou Direito seguindo os passos do pai, que o mandou para Paris esperando que o filho (que já começava a escrever algumas peças) seguisse a carreira de advogado. Mas lá Verne começou a se apaixonar pelo teatro e a escrever alguns livretos e pequenas histórias. Nesse período conheceu Alexandre Dumas Filho (sim, o filho do ícone literário Alexandre Dumas).

Então Verne conheceu o editor Pierre-Jules Hetzel, a quem apresentou o rascunho de Cinco Semanas Num Balão. Conseguiu a publicação e um contrato longo e prolífico. Ao fim da vida, havia concluído sessenta e seis romances.

Volta ao Mundo em Oitenta Dias

Júlio Verne escreveu e publicou Volta ao Mundo em Oitenta Dias (1872) em formato de folhetim e foi uma febre: companhias de navegação ofereceram fortunas para que os personagens fizessem a última etapa da viagem em um de seus navios.

Além disso, muitas pessoas acharam que a viagem estava acontecendo de verdade, principalmente porque a data final da história (21 de Dezembro de 1872) foi no mesmo dia da publicação. Muitas pessoas faziam apostas se Fogg completaria a viagem!

A história

Phileas Fogg é um típico gentleman inglês excêntrico. Além de ninguém saber muito sobre ele, é um homem extremamente metódico. Contrata um novo criado: o francês Passepartout, que está na esperança de um trabalho tranquilo.

Mas claro que essas esperanças vão por água abaixo quando o patrão retorna mais cedo de seu clube. Fogg anuncia que eles partirão imediatamente, pois darão a volta ao mundo em oitenta dias! Fogg apostou vinte mil libras com seus colegas de clube que seria possível fazer tal viagem. Mas é claro que há muitos obstáculos aguardando por eles nesta viagem…

As inovações tecnológicas do século XIX fizeram ser possível viajar ao redor da Terra. Isso fascinava o autor. Três eventos que possibilitaram uma viagem turística ao redor do mundo pela primeira vez foram a finalização da Primeira Ferrovia Transcontinental da América, o transporte ferroviário na Índia e a abertura do canal de Suez.

Por que ler Verne?

As obras de Júlio Verne são extremamente importantes para o mundo. Considerado o pai da ficção científica, ele deixou uma marca na história. Suas obras extremamente visionárias inspiraram gerações de escritores, artistas e cientistas em seus trabalhos. Por exemplo, Georges Méliès criou o primeiro filme de ficção científica (quando mal havia cinema, o cinematógrafo havia sido criado há pouco tempo), o Viagem à Lua, baseado em Da Terra à Lua.

Da Terra À Lua é um exemplo de como suas aventuras eram visionárias: ele se aproximou muito do tempo que levaria para chegar à lua e errou por 30km o local de lançamento do foguete. Ele previu que seriam três tripulantes e os nomes dos personagens eram até parecidos com os três astronautas que pisaram na lua pela primeira vez.

Outra obra que teve inspiração em Verne foram as HQs de A Liga Extraordinária. Alan Moore juntou diversos personagens clássicos (como Mina, de Drácula, ou Jekyll e Hyde) em um Liga da Justiça vitoriano, entre eles Capitão Nemo de Vinte Mil Léguas Submarinas.

As aventuras de Júlio Verne são ao mesmo tempo um retrato cultural da época que ele viveu e um vislumbre de um futuro que o autor imaginou: tecnologias que temos hoje, por exemplo, que na época eram fantásticas. São aventuras emocionantes, divertidas e universais.

Quero ler Júlio Verne, e agora?

Viagem ao Centro da Terra é um clássico, uma jornada fantástica que todos precisam experimentar na vida. Foi o primeiro livro que li sozinha, mas não recomendo passar o texto original para uma criança (palavras difíceis demais, coisas científicas…).

Cinco Semanas num Balão é outra dica, mas prepare-se para ver pessoas caçando em plena África: cenas que geraram uma criança/pessoa questionadora e que reflete sobre as leituras que faz… eu mesma.

Vinte Mil Léguas Submarinas tem um submarino nuclear e o incônico Capitão Nemo. Acredito que é o maior clássico dele junto com o Viagem ao Centro da Terra, então leia! Depois dele, leia a Ilha Misteriosa: há uma aparição de Nemo!

E, claro, não perca a aventura de Fogg. É muito divertida (eu rio com Passepartout) e gera grandes aprendizados sobre como o europeu colonizador via os asiáticos, por exemplo. Além disso, vale a pena pesquisar referências que Verne faz no texto para comparar com os dias de hoje. Também é hilário ver o autor francês escrevendo sobre os ingleses, cheio de ironia sobre suas personalidades.

Sendo assim, o que posso dizer é: leia muito Júlio Verne. Deixe que suas histórias façam sua cabeça viajar no tempo em aventuras incríveis!

Letícia Wilhelm

Escritora, formada em Letras e professora de língua inglesa. Gostaria de rodar o mundo e, mais ainda, criar um próprio para que outros possam visita-lo. Curte observar as pequenas coisas da vida e às vezes contá-las em histórias. Gosta de café e chocolate, de ver a chuva caindo e das tardes laranjas de outono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *