Quais são as pessoas por trás da produção de um livro?

Quais são as pessoas por trás da produção de um livro?

Todo mundo já ouviu alguém questionando (ou questionou) o preço de um livro, certo? Mas será que todo mundo já parou para pensar de fato quanta gente está por trás da produção de um livro? São muitas pessoas envolvidas e isso acaba refletindo no preço. Longe de mim fingir que não existe preço abusivo e outras coisas do tipo, mas temos que entender de onde vem o preço justo e respeitar essa cadeia de produção.

Lembra que no Brasil poucos leem? Então poucos sabem que estas pessoas existem. Além disso, muita gente que não lê e culpa o valor dos livros por isso talvez não tenha pensado que é tudo questão de prioridade né: você quer ler aquele livro que vai te ensinar muita coisa para crescer na vida, por 30 reais, ou comprar aquele combo do fast food que vai sumir da sua frente em trita minutos? Sem julgamentos, compro o combo às vezes também, mas precisamos ser honestos com nós mesmos né?

Então neste dia do trabalho em que honramos médicos, enfermeiros, profissionais da área da saúde, limpeza e todos os serviços essenciais, que estão lutando por nós, quero lembrar de mais essa galera: Os profissionais do mercado editorial. Afinal, sem eles ninguém teria livros para se distrair na quarentena, ou se formar médico.

O primeiro de todos: o escritor

Claro que tudo começa com quem todos nós sabemos que existe, o autor. Surge uma ideia e ela é transferida para o papel, com todo amor e carinho. Autores de não-ficção e de livros didáticos e técnicos também devem ser lembrados: há a pesquisa e curadoria do que será apresentado e como, não é mesmo?

Mas e depois? Como é o processo de produção?
Para que você o folheie, a produção de um livro passa por muitas mãos

Quando o livro é enviado à editora, o departamento editorial vai verificar as centenas de enviados e escolher uma parcela mínima a ser publicada, de acordo com qualidade, competitividade, demanda no mercado e etc. Ou seja, existem estas pessoas que lerão manuscritos e os selecionarão. Quantos são lidos e os critérios de escolha variam entre editoras e, claro, se você pretende ser publicado(a) um dia não se esqueça que é possível receber muitos nãos!

Então, se o livro for escolhido o autor (e os detentores dos direitos de eventuais imagens) vão assinar um contrato e, então, começa a edição mesmo. Aí temos o editor, o produtor… Essa edição envolve também uma pessoa para checar qualquer dado técnico. Além disso, de outro lado, a galera do “design” começa a verificar como será o material da capa, o tipo de folha, a fonte, dimensões do livro, e afins.

Montando o livro em si…

Depois que editoração, publicidade (propaganda, lembra? aí é toda uma equipe também) e arte fazem sua parte temos a equipe para diagramar o texto. Lembra quando você precisa fazer um trabalho nas normas ABNT? Na produção de um livro existe uma equipe que decide a posição de tudo no livro, as margens e espaçamentos. Um grupo de profissionais que vive fazendo algo levemente parecido com colocar trabalhos na norma ABNT. Já pensou? Aí também acontece a divisão em cadernos (já percebeu que o livro vem em cadernos presos uns aos outros?) e a ordem de impressão.

Uma parte da produção de um livro é escolher o design dele

Correção de erros ortográficos com o revisor (esse é famoso! Mas deveria ser mais contratado por todo mundo, em todas as áreas), designers e diagramadores, todos trabalhando… Alguém sabe o que tá faltando? A capa! O capista cuida de decidir quais elementos e cores combinarão com a obra e o estilo da editora.

Não se esqueça que se a capa possuir uma foto, há ainda o fotógrafo, a pessoa que foi modelo e possivelmente toda a equipe desta sessão de fotos. Se a capa tiver uma ilustração que não foi feita pelo capista, ela provavelmente é de um outro artista que vendeu a imagem ou fez sob encomenda. Essa descrição de produção de um livro também não contou com tradutores, para textos em outros idiomas, e revisores de tradução.

Livro aprovado, rola a impressão de teste e a revisão final para checar cada detalhe e ver se algo precisa de ajuste, além de passarem o livro por um leitor crítico, o qual dirá se a aparência e o assunto estão bons. Assim que tudo estiver certo, o arquivo é mandado à gráfica.

Os profissionais além da editora

Para a produção de um livro há ainda os profissionais de fora da editora. Vejamos a gráfica. Claro que pode ser um setor dentro da própria editora, e não um parceiro. Mas, de qualquer forma, há todos os funcionários envolvidos em receber os pedidos, operar as impressões, fazerem os cortes e montarem os livros. Além de outros itens de divulgação, como marcadores e cartazes.

Livros possuem uma longa história de produção

Depois há os motoristas que transportarão as caixas de livros para a distribuidora. O agente literário vai negociar onde o livro será distribuído e fechará negócio com as livrarias, além dos preços. Agora pense: o preço de um livro precisa incluir o pagamento de todo mundo até aí, mais o lucro da editora, mais o lucro das livrarias revendedoras. Pensa que o autor não passa nem perto da maior parte do que você paga em um exemplar!

Nas livrarias, há todos os vendedores da loja que serão pagos também. E nem contei alguns funcionários importantíssimos, como os faxineiros desses ambientes todos, na conta. Ou o valor de luz, água, telefone e internet destes lugares. Aí a gente entende mais de onde vem o valor dos livros.

Um livro não é o valor monetário.

Um livro é toda a obra composta por tantas mãos e mentes que deram muitas horas de seus dias para que diversas pessoas tivessem acesso àquela informação ou àquele entretenimento. Em tempos como esse começamos a pensar, ver e sentir como tudo é uma grande máquina, em que todos os trabalhadores se equilibram como peças de dominó: somos engrenagens e dependemos um do outro para continuar girando.

Não podia terminar esta Ode aos Trabalhadores sem dizer: respeite as engrenagens que precisam trabalhar para salvar vidas. Fique em casa o máximo que puder. Afinal, precisamos de todos nós bem e saudáveis para continuarmos girando, ajudando uns aos outros, quando isso tudo passar.

Letícia Wilhelm

Escritora, formada em Letras e professora de língua inglesa. Gostaria de rodar o mundo e, mais ainda, criar um próprio para que outros possam visita-lo. Curte observar as pequenas coisas da vida e às vezes contá-las em histórias. Gosta de café e chocolate, de ver a chuva caindo e das tardes laranjas de outono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *