5 Coisas para pensar ao começar um hábito

5 Coisas para pensar ao começar um hábito

Quando você vai começar um hábito novo, é normal que invente barreiras para te atrapalhar. Uma campeã das desculpas para impedir novos hábitos é a “falta de tempo”. Que muitas vezes é verdade, mas dá para contornar. Se você quer começar um hábito novo, por exemplo o da leitura, existem algumas coisas para você pensar antes de fazer isso!

Por que você quer ter este hábito?
Ao começar um hábito é importante pensar sobre seus gostos

Eu ainda não estou nem falando de motivação, aquele chamado. Estou falando de o que te fez pensar em fazer esse hábito. Uma motivação seria “preciso ser saudável porque meus exames não estão muito bons” e o hábito que você pensa é “vou para a academia”. A minha pergunta é: por que você quis ir para a academia? Será que não foi uma influência externa ao ver todos fazerem aquilo, e não houve uma reflexão da validade do hábito para você?

Ao questionar, você entende melhor a sua motivação, sai daquele mecânico. “Quero ir à academia porque tem uma perto de casa e dentro do meu orçamento” é uma explicação boa. Mas aí se você pensar “porém, prefiro fazer longas caminhadas”, eu diria “então porque você não troca o hábito”?

A motivação precisa estar clara para você
Salve o pin para não esquecer das dicas!

Você quer começar a ler, porque entendeu que este hábito pode te ajudar a se distrair, melhorar a comunicação e criatividade, e isso vai te ajudar a conseguir a promoção que você está de olho. Isso é uma motivação clara, e está ligada a algo importante para você. Sua cabeça tem preguiça de se esforçar, então quando você sente dentro de você o por que aquilo é bom e importante, o esforço para realizar aquilo virá.

Com a motivação clara e o hábito bem escolhido (se sua motivação for “quero lazer” e você escolher o hábito de ler livros de anatomia de felinos, eu espero que você realmente se sinta descansado ao fazer isso, ok?), algumas das barreiras já irão cair. Mas criar hábitos é um trabalho árduo, então vamos continuar.

Analise a sua realidade para criar o plano

Se você quiser começar um hábito, é mais fácil encaixá-lo em uma parte da sua rotina que já acontece naturalmente. Isso porque hábitos são coisas que fazemos sem pensar muito – por exemplo, escovar os dentes. Se você analisar sua agenda e rotina para encontrar momentos propícios para encaixar a atividade, a coisa vai ser muito mais fácil. Por exemplo, “todo dia após almoçar ficarei quinze minutos tomando sol enquanto leio” é um bom uso de uma tarefa que já está na rotina – almoçar – para começar dois hábitos ao mesmo tempo – tomar sol e ler. Eu fiz esse, funciona lindamente e dá muito mais energia para continuar as tarefas do dia depois.

Comece pequeno e controle o desempenho
Controlar os hábitos é importante para se manter motivado

Eu já falei sobre mini-metas antes: começar pequeno, dentro da sua realidade. No exemplo do sol e leitura, era apenas quinze minutos. Nesse tempo dá para ler bastante coisa e a longo prazo você lerá um livro. Se desafiar demais pode te desmotivar e te levar a pular alguns dias na sequência do hábito. Isso é péssimo para seu cérebro: ele aprende com repetição, quanto mais espaço você der entre as realizações do hábito, pior será. Tente fazer todo dia e, se não der, tente não ficar mais do que dois dias sem fazer o seu novo hábito.

Um mês, no mínimo, seguindo essa constante, deve começar a estabelecer aquele comportamento em você. Uma ideia legal é acompanhar o desenvolvimento do hábito em um aplicativo, ou em uma página de Bullet Journal ou Planner, para controlar hábitos. Você marca todo o dia que realiza a tarefa e consegue ter uma noção de como está indo.

Compartilhe a experiência

Se você tiver com quem compartilhar as realizações e dificuldades do seu processo, tudo será mais divertido e fácil. O ser humano é um ser social, e até quem parece não ser (aquela amiga que cancela todos os rolês, a pessoa que tá sempre quieta sem interagir muito…) tem sim uma parcela de querer e pertencer a um grupo. Para hábitos, é ótimo para um incentivar o outro e dar dicas para superar dificuldades!

Há quem diga que comprometer-se publicamente ajuda – como participar de um NaNoWriMo ou postar sobre seu desenvolvimento dentro do novo hábito nas redes sociais -, mas não precisa ser tão radical. Juntar uma galera, ou uma pessoa, e compartilhar com ela esses momentos já é suficiente!

Pensando nisso criei nessa quarentena o clube de leitura do Por-Fora, o Outro Livro Fora da Estante, para todo mundo começar o hábito de ler. Era um grupo fechado em que, por trinta dias, eu postava desafios divertidos e todos nós nos mantínhamos lendo. Também teve conteúdo exclusivo, ajudando a pensar sobre si e estabelecer melhor as metas pessoais e a rotina de leitura. Também ofereci algumas surpresas super legais!

Esse mês vai acontecer a segunda edição e, se você quiser participar, é só fazer a sua inscrição! O pessoal da edição passada tá super animado querendo participar de novo, você pode ver o que disseram na página sobre o Clube!

Diga nos comentários quais dessas coisas você já pensou e fez ao iniciar um hábito e como foi o processo!

Letícia Wilhelm

Escritora, formada em Letras e professora de língua inglesa. Gostaria de rodar o mundo e, mais ainda, criar um próprio para que outros possam visita-lo. Curte observar as pequenas coisas da vida e às vezes contá-las em histórias. Gosta de café e chocolate, de ver a chuva caindo e das tardes laranjas de outono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *