Bullet Journal é fácil: um manual prático e sem frescuras!

Bullet Journal é fácil: um manual prático e sem frescuras!

Bullet Journal ficou na moda e agora tem uma porção de fotos de páginas artísticas na internet, mas nem todo mundo sabe o quão simples ele é. Sim, o Bullet Journal é fácil de usar. Não precisa de quase nada e muito menos do monte de desenhos que você vê por aí. E ele pode salvar sua vida do caos de tarefas e coisas enchendo sua cabeça!

Bullet Journal é o método criado por Ryder Carroll, um designer, para organizar ideias e projetos de uma forma mais livre. Se você sempre sofreu para usar uma agenda, pode ser o sistema perfeito. Eu todo ano comprava ou ganhava uma agenda, usava poucas páginas e abandonava. Às vezes você tem várias em branco na sua casa, que ficou com dó de se desfazer sem usar mas não sabe o que fazer com elas. Ou cadernos não terminados. Taí a solução. O Bullet Journal (BuJo para os íntimos) é:

  • Ideal para criativos – talvez por isso tantos dos BuJos que vemos por aí têm ilustrações lindas;
  • Terapêutico – talvez por isso tanta gente decore como um scrapbook ou anote pensamentos e emoções;
  • Prático – talvez por isso uma variedade tão grande de pessoas use: professores, mães donas de casa, artistas, empreendedores e profissionais de diversas áreas.

Quais as partes de um BuJo então? Como você pode fazer se é tão fácil?

Primeiro, arruma um caderno velho e um lápis ou caneta. Sim, nem comprar um caderno você precisa. E se usar um caderno velho, você não vai se cobrar de deixar tudo “bonitinho” e “acertar”, você vai pensar que está aprendendo. Ah, e você pode começar a usar a qualquer momento. Não precisa esperar um ano ou mês novo, não! Então vamos lá!

A linguagem

Primeiro você precisa “sacar” de onde vem o nome. Journal é diário (ou um caderno pessoal de anotações) em inglês. Bullet se refere a forma como suas tarefas e anotações serão registradas: resumidas e em tópicos.

Ao invés de escrever “ir ao mercado comprar legumes para a sopa” você escreve “mercado legumes”. Ao invés de descrever que você vai ao médico e precisa se lembrar de pegar a máscara, o álcool gel, a carteirinha do convênio, o documento, o exame feito, você coloca “médico 13h” e aninha palavra por palavra abaixo disso.

Legenda

A legenda de um bullet journal precisa ser de fácil entendimento

Para entender as anotações, você precisa de uma legenda. Isso porque você vai ter alguns símbolos para saber se aquilo é uma tarefa (bolinha preta), um evento (bolinha vazada), uma anotação (tracinho)… E também para saber se foi cumprida (um “X” por cima da bolinha), adiada (um > por cima da bolinha) ou cancelada (riscar a bolinha). Você pode criar outros símbolos. Ele sugere símbolos de urgência ou atenção, como um *, por exemplo, que Ryder chama de “modificadores”.

Eu pessoalmente anotei minha legenda em um post it e colei na capa do meu caderno, do lado de dentro. Adaptei alguns símbolos.

Há quem goste de cores. Aqui é onde você pode fazer a legenda das cores: roxo para estudos, verde para tarefas na rua, azul para trabalho… E a lista segue.

Future log (Anotações do futuro)

Bom para ver o ano de uma vez. Você pode dividir a folha como quiser (existem zilhões de modelos pela internet), mas a ideia é marcar atividades já previstas ao longo do ano: aniversários, consultas, viagens, eventos. Tem data marcada e é lá na frente? Vai pra essa parte! É lá que você vai olhar pra saber o que esperar e o que fazer nos próximos meses. Pode anotar até compras específicas, como material escolar!

Monthly log (Anotações do mês)

Anotações mensais no bullet journal

Aqui você, da forma que for visualmente mais fácil pra você se entender, vai pegar as atividades com data marcada daquele mês e anotar de novo. Sim, porque toda vez que você tiver que anotar de novo, como Ryder diz, você vai perceber se aquilo faz sentido para você mesmo: afinal, se não vale a pena anotar não é importante. Você também vai ter um campo para tarefas que precisam acontecer naquele mês, projetos que está desenvolvendo, metas e qualquer outra coisa do tipo!

Daily log (Anotações diárias)

Seu dia pode ocupar uma página ou um quarto dela. A questão é apenas: quais são as coisas que você fará hoje? Aqui você distribui as tarefas e eventos de datas marcadas. No fim do dia, o que não terminou vai ser adiado com o > e você já sabe que nos próximos dias você vai ter que colocar a tarefa de novo – ou não. E a graça do Bullet Journal é que você vai fazendo conforme precisa. Se você ver na foto, tenho muitos dias na mesma página, até de semanas e meses diferentes! 

Coleções

Coleções e anotações diárias em um bullet journal
Uma coleção, seguida de registros diários.

Isso é a parte mais fascinante do Bullet Journal e que o torna um atrativo. Além de ser prático para anotar tarefas, é fácil para encontrar anotações sobre tudo da vida no mesmo lugar! As coleções são páginas com informações que você quer juntar em um lugar para usar como referência: uma lista de livros para ler, um acompanhamento do seu programa de emagrecimento, receitas, anotações de palestras e cursos, listas de compras, desejos, planos de viagem, controle de hábitos… As possibilidades (e ideias pela internet) são infinitas. 

Brain dump (a caixa de despejo)

Principalmente quem já conhece GTD sabe da caixa de entrada. Eu chamei aqui de caixa de despejo. O que é isso? Você vai ter uma página e anotar – ou despejar – qualquer coisa que passar pela sua cabeça que você precisa fazer, pensar, comprar, arrumar, falar, e que você não vai resolver no segundo em que você pensou. É uma página pra ser bagunça mesmo. Depois, você vai lá, abre a caixa – no caso página – e seleciona o que vai resolver agora, o que vai agendar, o que vai ignorar. Legal né?

Paginação e flexibilidade na ordem de anotar

Aí você pergunta: e como vou me achar com tudo isso? Vou ter que dividir esse caderno né? Não. Na verdade, a parte mais legal de todas e que me conquistou no método Bullet Journal é a facilidade de você anotar o que quiser, quando quiser e na ordem que quiser. Ou seja, posso fazer uma página do dia de hoje, na página seguinte uma receita de doce, depois uma caixa de despejo e aí volta pra anotações do dia.

O segredo para se achar nisso é a paginação. Você vai pegar a caneta e escrever o número no canto da página do caderno. Simples assim.

Mas não precisa escrever todas as páginas de uma vez! Ele até fala (ou falava?) isso no site, mas é muito trabalho e você pode cansar só de pensar. Faz que nem eu: terminou de usar a página, escreve o número no canto. E aí a gente vai pro índice.

Índice

No começo do caderno você vai precisar escrever “índice” no topo da primeira folha e deixar um bom espaço (depende do tamanho do caderno e da sua letra, pra mim em geral umas duas páginas – ou uma folha – é suficiente) para preencher ao longo do tempo.

Você vai anotar lá as páginas que criou. Vamos supor que você tenha umas três páginas de “mês” espalhadas no caderno. Você escreve “Mês” no índice e o número das páginas em que aquilo aparece. Aí você tem umas quatro checklists: anota “checklists” e o número das páginas. Suponha que você tenha 3 páginas de “diário” seguidas: é só anotar “5-7” por exemplo. Ou “20-25” para um calendário do ano.

Simplesmente isso.

Adaptações do método

Como disse, tem como adaptar o método. Afinal, ele está aí para te servir. Há quem goste de dividir as coisas por código de cores, por exemplo. Tem também quem prefira marcar as páginas com adesivos coloridos, de acordo com o assunto delas. E já vi quem faça várias páginas de uma vez (coloca a página do mês seguida de todas as semanas e/ou dias que vai usar, já preparadas para só preencher).

Eu não curto as cores, acho que é mais uma coisa para fazer. E não gosto das páginas adiantadas. O que gosto no Bullet Journal é justamente a liberdade de saber que, diferente de quando usava a agenda, não terei várias páginas de dias em branco porque deu preguiça de escrever ou só fiquei sem fazer nada.

Mas os adesivos são interessantes. Contei em outro texto que tenho um caderno só para escrita e outro para leituras. Neles, e principalmente no de estudos, uso adesivos com cores para separar assuntos. E uso índice e paginação, como um Bullet Journal, só que sem a parte de agenda. Ou seja, o método é adaptável para outros contextos!

Sem frescura!

bullet journal tem que ser prático!

Você viu fotos do meu Bullet Journal pelo post. Dá pra ver que até gosto de colocar uns adesivos, cores. Mas prefiro focar na praticidade: sem um monte de desenho, caneta preta e vamos lá. Uma coisa sobre meu BuJo: algumas canetas vazam para o outro lado da folha, então preste atenção na gramatura do papel (o quanto ele é grosso) e se a caneta não vai vazar.

Tenho páginas que comecei e não terminei, páginas que uso pouco. Páginas de bagunças escritas à lápis e páginas planejadas milimetricamente. E o mais importante: tenho fases em que anoto tudo direitinho e uso muito ele, mas outras em que acabo passando uns dias sem usar. É normal! E continuo organizada, porque mesclo ele com outros recursos.

Com o que mesclo o bullet journal?

Além de ter separado leituras e anotações sobre escritas e cursos em outros cadernos, uma parte “agenda” e fluxo de trabalho fica muito em apps. O BuJo tem o papel de agenda do dia, de tarefas da vida, de anotações cotidianas, de organizar coisas que preciso lembrar e que não se encaixam em nenhum outro app que uso. Tenho uma página de “quando foi que eu…” onde anoto a data em que fui no médico, fiz backup do pc ou troquei a escova de dentes, por exemplo.

Sobre apps, uso muitos. Acho que entrar em detalhes sobre cada um deles vai ficar para depois. Me conta nos comentários se você tem interesse nestas indicações de aplicativos!

Você também pode imprimir templates prontos para agilizar sua vida e não precisar desenhar nada. Assim faz um recorte cole (terapêutico) e mantém a organização!

Para te ajudar a organizar seu hábito de leitura, fiz um freebie lindo, só imprimir recortar e colar (onde quiser!). Ele é eterno: você escreve o mês nele! Para baixar, só colocar seu e-mail abaixo!

.

Por fim, dê uma chance ao Bullet Journal! É uma forma para você cuidar de sua paz de espírito e saúde mental. Além de tirar tudo o que ocupa a sua cabeça e não te deixa respirar e pensar, você pode usar de forma terapêutica. Organização e bem estar em um combo prático e fácil!

Bullet Journal é fácil de usar, basta seguir este manual prático!
Salva o Pin para não esquecer mais as dicas!

Disclaimer: O Outro Por-fora pode ter links de afiliado. Ao comprar usando um de nossos links você ajuda o blog a continuar existindo, pois recebemos uma comissão, sem custo adicional nenhum a você. Sempre serão indicados sites e produtos confiáveis.

Letícia Wilhelm

Escritora, formada em Letras e professora de língua inglesa. Gostaria de rodar o mundo e, mais ainda, criar um próprio para que outros possam visita-lo. Curte observar as pequenas coisas da vida e às vezes contá-las em histórias. Gosta de café e chocolate, de ver a chuva caindo e das tardes laranjas de outono.

2 thoughts on “Bullet Journal é fácil: um manual prático e sem frescuras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *